Menu

Menu

Fechar

Fechar

O termo paralaxe tem origem no grego parállaxis que significa mudança.


De uso frequente no contexto científico, refere-se à diferença aparente na localização de um objeto a partir de pontos distintos de observação. Uma palavra que denuncia a falha no rigor da perceção autocentrada e estanque e que, por isso, se estabelece enquanto sistema métrico pela triangulação, cruzamento e análise da mesma coisa a partir de diferentes pontos de vista. 

É desse modo que PARALAXE pretende estabelecer-se enquanto projeto de investigação em arte, através da prática artística em contexto de residência: com foco no cruzamento disciplinar, ocupa territórios aparentemente alheios para lhe trazer outros pontos de leitura e potenciar novos discursos. 


O contexto científico surge, no projeto, como estímulo à pesquisa, tanto no encontro como no confronto de metodologias, práticas e paradigmas. Nesse sentido, o Instituto Geofísico da Universidade do Porto (IGUP) é, em 2020, o local de acolhimento e pesquisa de artistas em residência. Localizado na margem do rio Douro para um maior isolamento das interferências e vibrações da cidade, funciona como pólo de recolha de dados meteorológicos, sismológicos, magnéticos, radiométricos e fenológicos. O edifício central tem áreas de arquivo onde se guardam antigos sismogramas e cadernos de registo meteorológico, além de um terraço no topo que dá acesso aos anemómetros (para medição do vento). No espaço exterior encontra-se um jardim fenológico, para observação de variações climáticas, uma estação meteorológica, onde estão sensores do IPMA, e os pilares de suporte dos instrumentos analógicos de medição. Um bunker sísmico, construído sobre um maciço granítico, mantém os antigos instrumentos para visitas, sendo os seus sensores de leitura ainda hoje usados no mapeamento digital.


Esta primeira edição de PARALAXE recebe ao longo de dois meses os artistas Carolina Grilo Santos, Diana Carvalho, Diana Geiroto Gonçalves, Dinis Santos, Luísa Abreu e Hernâni Reis Baptista em residência no IGUP. Espaço este que funciona como um centro de investigação a partir do qual se vão agregando colaborações-satélite de artistas e investigadores para a criação de conteúdos (plataforma digital, publicação e exposições paralelas).  O programa contempla ainda a inauguração de uma exposição no IGUP em 2021, bem como actividades paralelas visitas, apresentações públicas, conversas e o lançamento de uma publicação em formato papel, num evento em parceria com o Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural.


Em 2021, o Observatório Astronómico Prof. Manuel de Barros, em Vila Nova de Gaia, é a sede operacional do projeto. Situado num local recôndito para que as observações noturnas não sejam perturbadas pelo nevoeiro do rio e luzes da cidade, este instituto foi construído com o objetivo de determinar a hora com maior precisão através da observação das estrelas. Atualmente, cerca de uma dezena de investigadores trabalha neste local, em áreas como astronomia, física, engenharia e biologia. É este o contexto do acolhimento e pesquisa deste projeto que irá receber 15 artistas/coletivos ao longo de quatro meses em diferentes formatos de residência, desde a curadoria, artes plásticas e performativas, passando também por edição/publicação.  Além da programação no Observatório, está prevista a continuidade da programação paralela na plataforma digital e em espaços parceiros como a Bardo Creative Ground e Galeria do Sol, contando com intervenções de 10 artistas convidados.


Todo o projeto e processo artístico será continuamente acompanhado e alimentado por investigadores em arte do núcleo i2ADS e cientistas dos institutos, procurando estabelecer um diálogo transdisciplinar e um lugar de partilha, para fomentar a discussão em torno de problemáticas comuns a distintas áreas de pensamento e investigação contemporâneas.  


No decorrer de todo o projecto, nas suas diversas fases e edições, esta plataforma online será activada com regularidade reunindo arquivos, material-registo da residência e colaborações-satélite de artistas e investigadores.

Equipa

Carolina Grilo Santos

Diana Geiroto Gonçalves

Luísa Abreu

Design

André Covas

Assessoria de Imprensa

Isadora Faustino

Desenvolvimento web

Bondlayer

Contactos

info.paralaxe@gmail.com

APOIOS

Image